Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Cultura’ Category

O trem do forró já faz parte das tradições e do calendário junino do Recife e é nacionalmente conhecido como um dos maiores eventos neste período.

O Trem do Forró embala seus passageiros no mais autêntico forró pé-de-serra na sua 20ª edição, encantando turistas de todo estado e de outras regiões do país. As partidas estão agendadas para às 16 h, na Praça do Marco Zero com destino ao Cabo de Santo Agostinho, nos dias 5, 6, 12, 13,19, 23 e 27 de junho.

O produto TREM DO FORRÓ, com apoio do Governo do Estado, Secretaria de Turismo – Empetur, Prefeitura do Recife, Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, Metrorec, CBTU e ABOTTC, já faz parte do calendário das comemorações juninas em Pernambuco e é um dos mais fortes atrativos turísticos durante este período.

A locomotiva é composta por até 10 vagões com capacidade para 1.000 pessoas dançando, decorados com enfeites juninos, acompanhados com trios de forró por vagão, que garantem a animação até a chegada ao município do Cabo, onde poderão curtir a apresentação de bandas de pífanos, bacamarteiros e quadrilhas juninas, além de feira de artesanato e comidas típicas, no Pátio de Lazer do Mercadão.

Na viagem que dura aproximadamente cinco horas, os forrozeiros ainda contam com serviço de bar vendendo bebidas e petiscos, vagão de apoio, banheiros, serviço de limpeza, enfermeira e medicamentos para primeiros-socorros e segurança.

O ingresso para o Trem do Forró custa R$ 75,00 por pessoa e dá direito a camisa, pulseira de identificação e informativo. As reservas poderão ser feitas pelo site www.tremdoforro.com.br.

O desembarque em Recife está previsto para as 23h.

Por Adriana Lúcia

Read Full Post »

Renato L (sec.Cultura do Recife), João da Costa (prefeito do Recife) e Luciana Félix (presidente da FCCR) Foto: Fernando Silva

Com o novo slogan, “São João tradicional, a gente faz na Capital”, em 2010 o Ciclo Junino do Recife se reafirma como uma das melhores opções em festejos juninos no Brasil, trazendo para os cidadãos e turistas os sabores, as imagens, o som e a animação da festa que é a cara do Nordeste. O investimento na festa chega a R$ 5,7 milhões, aplicados na grade de programação e em melhorias na infraestrutura.

A festa vai do dia 1 ao dia 30 de junho em cinco polos – Sítio Trindade, Arsenal da Marinha, Pátio de São Pedro, Nascedouro de Peixinhos e Tomazina, além de 17 polos descentralizados em comunidades que contam com o apoio da Prefeitura na infraestrutura e programação. Serão 400 apresentações distribuídas nos polos.

Foto: PCR/Fernando Silva

Segundo o prefeito do Recife, João da Costa, o São João do Recife trará para habitantes e turistas a tradição da cultura nordestina, sem esquecer dos novos nomes. “O nosso ciclo junino vem se firmando como uma das melhores opções no Brasil para quem quer curtir a verdadeira cultura nordestina. Nossa festa vai oferecer ao público a tradição, mas também vai dialogar com novos experimentos. Também vamos dar espaço a novos artistas, pois essa é cara do Recife: cosmopolita, aberta ao que é novo, mas sempre orgulhosa de sua história e de sua cultura”, disse o prefeito.

Novidades:

  • Seguindo o exemplo exitoso do Carnaval, a Prefeitura do Recife vai distribuir o livreto Nossa Música é a Gente Quem Faz, que desta vez traz letras de 40 músicas tradicionalmente executadas na época, que é para ninguém ficar de fora por não saber cantar. A publicação terá 40 mil exemplares, distribuídos em todos os polos de animação.

 

  • Em parceria com o Galo da Madrugada, também acontecerá o Forrozão do Galo, festas que acontecem nos dias 4, 5 e 6 de junho na Praça Sérgio Lorêto. O evento, que também conta com a parceria com a Fundarpe, Sociedade dos Forrozeiros Pé-de-Serra de Pernambuco e Federação das Quadrilhas Juninas de Pernambuco, terá diariamente, dois trios elétricos tocando exclusivamente forró de raiz e também uma cidade cenográfica com igrejas, casinhas, barracas e uma fogueira artificial. Um grande palhoção será o ponto de encontro de quem quer se jogar no arrasta-pé e ver apresentações de quadrilhas.

 

  • Para 2010 a PCR lança ainda o concurso de Decoração de Barcos, que acontece durante a Procissão de São Pedro.

 

  • Outra novidade é a criação da Grife do São João, que vai estampar a cara e as cores da época em criações assinadas por Melk Zda e Madame Surto. Os modelos serão vendidos no Sítio Trindade, palco das grandes atrações juninas do Recife. (Com informações da Prefeitura do Recife)

Por Alessandra Raposo

Read Full Post »

Resultado da enquete

Muito obrigada a todos que votaram na nossa enquete. Com 42,6%, os Mercados Públicos da cidade venceram como aqueles que deveriam concorrer a patrimôno da humanidade. Em segundo lugar, o Maracatu ficou com 20,4%

E não deixe de participar da nova enquete (na lateral do blog) e responder sobre a comida que não pode ser esquecida em uma viagem ao Recife!!!!!!! 

Muito obrigada por participar! Continue nos ajudando a seguir com o blog! 

Por Karina Mendonça

Read Full Post »

Todo mês a Secretaria de Cultura da Prefeitura do Recife, viabiliza gratuitamente a Agenda Cultura da cidade. Um guia contendo as principais atividades culturais durante os 30 dias que se seguem: cinema, música, teatro, artes visuais, artes plásticas, fotografia, oficinas e cursos, shows e festas entre tantas outras mais. Pequeno e em formato de bolso, é cômodo e ideal para quem gosta de se programar para o mês, ou apenas saber aonde ir a qualquer dia e hora.

No mês de maio a Agenda Cultural disponibilizou eventos e muitas outras atrações interessantes, e como tudo só acaba quando termina, faltando alguns dias para junho chegar, dá tempo que sobra de aproveitar ainda os roteiros desse mês.

O guia cultural pode ser encontrado por toda a cidade em universidades, nos cinemas, nos postos de informação ao turista, mas, para facilitar a nossa vida, também se encontra na integra no site: http://www.recife.pe.gov.br/fccr/agenda/index.php.

Por Érica Colaço

Read Full Post »

Foto: Eduardo Rocha

É natural que a cidade cresça e busque novas adaptações, novos lugares de interação e acomodação as recentes tribos que sempre estão surgindo junto com a moda, com as tendências, com a música… É comum que um espaço, ou uma Rua em determinado momento, seja o queridinho da estação.  E é o que está acontecendo com a Rua Capitão Lima, no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife.

Depois de uma temporada sem muito foco, desde o dia 19 de janeiro deste ano, começou a funcionar por lá um espaço totalmente multifacetado, dedicado a diversas vertentes com múltiplas opções de interesse: artes plásticas, cênicas, moda, gastronomia, cinema, música e com a cara de que vai dar certo.

Na casa nº.280, Rua do Lima, quem passa pela frente não imagina o espaço que se estende por um longo corredor, com mesinhas e uma decoração peculiar, que ninguém nunca viu por aqui, até chegar a um galpão composto de sofás estilosos e uma parede inteira de espelho, com DJs locais ou artistas nacionais compondo a festa.

O bistrô sob o comando do chef Euclides Antônio e o pessoal do restaurante Navilla, bairro da Madalena, dispõe entre petiscos e lanches um cardápio de alta qualidade e variedade.

A ideia de reunir tantas formas de arte e iniciativas partiu da estilista Paulina Albuquerque, que considera Recife um pólo de diversidade cultural com pouco espaço para manifestações. O Muda surge como uma nova opção para os artistas que queiram expor seus trabalhos e sua idéias, e para os baladeiros que gostam de novidade de alternatividade terem aonde ir.
Para quem estiver curioso em conhecer o espaço, o Correio Recifense confirma que é satisfação garantida, mesmo que você não se apaixone, não sairá sem ao menos admiraração.

Por Érica Colaço

Foto: Eduardo Rocha

SERVIÇO
Rua do Lima, 280, Santo Amaro – Recife (ao lado da TV Jornal)
Entrada Gratuita
Informações: 3032.1347

Read Full Post »

Cidades irmãs, Recife e Olinda andam de mãos dadas todo o tempo. É difícil até, conceber que sejam municípios distintos se quando mau uma acaba a outra já abre o sorriso. Olinda está para o Recife, assim como estamos para o verão, que inclusive, dá suas caras por aqui durante o ano inteiro, com exceção de junho e julho.

Difícil é não prestigiá-la. Só o nome já é convidativo: Oh, linda – disse uma vez um fidalgo português ao deparar-se com a sua beleza.

Apenas sete quilômetros da capital pernambucana, Olinda reserva ao visitante um verdadeiro acervo cultural. Convivendo lado a lado com a vocação religiosa e a folia, ao mesmo tempo em que é mundialmente reconhecida por seu carnaval peculiar, considerado a melhor de Rua do Brasil, também conta com uma ruma de Igrejas, Capelas e Passos. Para quem está se perguntando agora o que significa Passos, a gente explica: de origem colonial, são pequenas capelas em alvenaria, construídas para simbolizar o caminho de Jesus até o calvário. É muito difícil, até impossível, encontrar um Passo a disposição do visitante, normalmente suas portas só abrem durante o período da quaresma para a Procissão dos Passos, onde os fiéis católicos e os curiosos de plantão fazem o percurso simbólico.

Oferece uma paisagem arrebatadora lá do mirante no Alto da Sé. Um camarote exclusivo para uma visão panorâmica da cidade do Recife, comendo uma tapioca, iguaria que foi registrada como Patrimônio Imaterial e Cultural da cidade. Para os meios, e os fins Olinda consegue ser tudo… Ao mesmo tempo… Agora.

Por Érica Colaço

Read Full Post »

 

Você já deve ter andando pelas ruas da Concórdia, Bom Jesus, do Sol. Entre prédios antigos e paralelepípedos que forram as vias, existe muita história. A começar pelo significado desses nomes. Será que alguém conseguiria adivinhá-los?

Foto: Site da Prefeitura do RecifeA história nos conta que as ruas eram batizadas com nomes que representavam seus moradores, seus costumes. Um exemplo dessa referência é a Rua do Aragão, que assim foi chamada em homenagem a um português que lá morou e construiu várias casas.

Mas algumas dessas ruas mudaram de nome com o passar do tempo. Mais especificamente no ano de 1870, a municipalidade resolveu substituir as denominações, por outras relacionadas à Guerra do Paraguai que acabara de terminar.

A Rua do Crespo, que hoje é conhecida como Primeiro de Março, recebeu esse nome em referência ao dia da batalha mais importante daquela guerra.

Entretanto, mesmo com algumas ruas com nomes já modificados, o costume do recifense não foi modificado, preservando assim a história e tradição das nomenclaturas.

Abaixo você passará a entender, a partir de agora, o significado dos nomes das ruas da cidade do Recife:

. Rua do Bom Jesus: recebeu esse nome por causa do antigo Arco do Bom Jesus que existia em 1850, como uma das portas da cidade. Uma das mais famosas ruas do Recife. Nela foi construída em 1635 a primeira sinagoga das Américas.

. Rua da Hora: localizada no bairro do Espinheiro, foi batizada assim, em homenagem ao médico Pedro da Hora Santiago, morador há muitos anos do bairro.

. Rua do Sol: localizada no bairro de Santo Antônio, ganhou esse nome pelo fato de receber na maior parte do tempo os raios solares. Seu nome foi modificado em 1884 para Rua Dr. Ivo Miquelino, mas até hoje a população preserva seu antigo nome.

. Rua da Concórdia: situada no bairro de São José, recebeu esse nome após os seus dois mais ilustres moradores, travarem uma disputa para escolher qual dos deles teria a honra de ter seu nome batizando a rua. Após muita discussão em 1840, o presidente do conselho municipal, Maciel Monteiro entrou na briga para acalmar os ânimos. Lendo uma poesia de sua autoria, chamada de “A concórdia”, propôs aos brigões que a rua fosse assim chamada.

Essas são algumas das curiosidades que fazem da cidade do Recife um lugar cheio de mistérios e histórias. Para saber mais informações, visite o site da Fundação Joaquim Nabuco (www.fundaj.gov.br)

Por Ariane Feitosa

Read Full Post »

Older Posts »